Medo – Coração ou Razão?

Quando escrevi Como colocar a vida em ordem, finalizei com a dica de fazer uma única mudança de hábito por vez. Ainda estou tentando melhorar minha postura, mas vou ter que pegar um novo desafio.

Me comprometi a falar aqui dos sinais que recebo do Universo. Ás vezes isso também é um desafio porque só depois de quatorze sinais é que começa a cair a ficha. Aí é difícil lembrar e listar os treze anteriores. Mas vamos lá!

Há muitas coisas me incentivando a fazer vídeos sobre os temas tratados aqui.

1- Eu mesma comecei a escrever incentivada por vídeos que assisto da Flávia Melissa, Paula Abreu, Flavio Siqueira, palestras do TED, entre muitos outros.

Mas tenho aquele rótulo de mim mesma: introspectiva, não sei falar em público, etc. Então me vejo escrevendo quietinha, sem ninguém por perto, com pausas para reflexão.

Só de pensar em fazer vídeos, tenho pânico, parecido com o que eu tinha de agulha antes de fazer acupuntura.

2- Quando falei do blog para o meu irmão, ele me mostrou um canal no YouTube que dá dicas de como fazer vídeos, e assistindo, me deu uma sensação (lá no fundo) de “talvez não seja esse bicho de 7 cabeças”;

3 – Uma amiga perguntou se eu pensei em fazer vídeos e disse que essa era a nova tendência;

4 – Um amigo com quem eu não falava há um tempão postou um vídeo falando sobre estar no automático, viver o momento presente e senti muita vontade de falar do blog para ele. Ele achou legal e me incentivou muito a fazer vídeos também. Se tem alguém que pode falar do assunto é ele que tem mais de 2 milhões de inscritos em um de seus canais no Youtube (descobri agora que tenho um amigo famoso…).

5 – A Eunice, minha mais assídua leitora, pediu para eu escrever sobre: o contato com meu coração, meu EU interior e minhas experiências.

6 – Hoje vi um post sobre medo em um blog parecido com esse meu. Senti que tinha a ver com esse medo/pânico de que fazer vídeos e que isso pode ter relação com a minha missão, nesse momento.

Esses foram os últimos sinais desde os outros 37…

Ouvindo o coração

Eunice, sempre fui racional e fiz as coisas porque elas faziam sentido, porque elas eram certas ou porque eu tinha que fazer. As vezes fazia coisas porque gostava, mas isso era lazer. O que conheci como trabalho até hoje não tem a ver com essa vontade que eu tenho agora de escrever sobre coisas que não posso provar, sobre meus sentimentos, sobre coisas que eu acho. O que mais me manteria no escritório, em uma sexta-feira, às 20:00 com o prazer que estou sentindo de escrever isso agora, sendo que não há nada que me obrigue a isso, sendo que não há prazo de entrega?

Eu não sei bem quando comecei a ouvir meu coração, mas agora parece que ele grita. Cada hora de um jeito. As vezes é martelando a mesma ideia na minha cabeça, as vezes é fazendo eu prestar atenção em uma determinada coisa ao invés de outra que acontece ao mesmo tempo, as vezes é com esse frio na barriga que a minha mente ainda acha que é de medo, PÂNICO!, mas que pode ser de paixão por uma nova coisa que eu nunca imaginei fazer.

Eu comecei a me apaixonar por fazer coisas novas nos últimos tempos, ler, assistir e me interessar por coisas diferentes e agora sinto que não posso parar. O nível de dificuldade tem que ir subindo, é natural. Sabe o seu comentário de hoje sobre dar vazão as dorzinhas no Amor – O encontro da escassez com a abundância? Acho que esse é aquele momento em que eu tomo uma rasteira.

Parece ruim, mas é bom sabe? Se eu estou aqui, pedindo sinais, me comprometendo a contar sobre eles, como posso ignorar quando surgem essas dores? Ouvir o coração também é não ignorar os sintomas que seu corpo te envia. Porque esse frio na barriga quando alguém pergunta: porque você não faz um vídeo?

Como a razão fala

É medo, é resistência, quanto mais eu encontro motivos para não fazer, mais eu percebo que estou racionalizando para atender a vontade do meu cérebro de fugir de uma situação de potencial ameaça. Não é meu coração. Sei disso porque quando me imagino sem medo, confiante, vem uma sensação boa. A mesma que tinha quando me imaginava tendo os benefícios da acupuntura na minha vida, sem o medo das agulhas.

Agora como eu começo a vencer o medo?

Me preparando psicologicamente. Vou colocar essa como nova meta, vou aceitar esses sentimentos de medo/pânico e vou respeitar o meu tempo. Sei que vou conseguir, é só uma questão de tempo. Vou descrever aqui as ações e os sentimentos dessa jornada. E depois certamente voi fazer um vídeo sobre isso, kkkkkk. Já comecei o making of. Depois eu conto.

Enquanto isso vou continuar escutando os recados, do universo e do meu coração! Obrigada por me “ouvir” aqui!

Beijo

Sofia

P.S. Conheci a Eunice essa semana e ela também tem um blog, sigam ela aqui!

P.S.2 Uma pequena parte de mim fala: porque você foi escrever sobre isso?! Agora vai ter que fazer um vídeo!!!

P.S.3 Os canais do meu amigo são o Pipocando e o vidadebruno.

P.S.4 Acabei de lembrar que o amigo com quem eu almocei essa semana também falou sobre isso…

Anúncios

5 comentários sobre “Medo – Coração ou Razão?

  1. olaaaaaaaaaaaaaaaaaaa . parabens então estamos na fase de destruir os tijolos da casa e ver a luz do dia?? eu confesso que esta semana derrubei algumas e posso dizer que estou mais forte acredita… tenho arranjado estratégias kkkk …se eu tivesse uma camara …. enfim estamos as duas no mesmo barco. há mais gente que o faz todos os dias.
    Miga a serio não desiste porque eu tambem não. Posso até a ajudar …começa por assumir o teu o teu blog …. começa a assumir-te no instagran ..e so clicar no botão e depois … (já passou, já passou ) muito bom .receita comprovada

    Curtir

    1. Obrigada Eunice. Cá estou eu em pleno domingo de sol, lendo e escrevendo… Não consigo parar! Agora que entendi o que você quis dizer nesse comentário. Quero saber se realmente existe um público que se interesse pelo que eu tenho a escrever, dizer… Penso um pouco que meus amigos vão divulgar para me ajudar, mas não necessariamente eles serão o público que tem interesse nesse conteúdo, sabe? Vou ter que continuar ouvindo os sinais e continuar na abundância de tudo. Obrigada pela sugestão!
      Beijo!
      Sofia

      Curtir

  2. Ola ja amgum tempo que nao falamos mas tenho lido sempre os teus pots. Hoje decidi escrever te. Compartilhar o que eu sinto. Preciso de sinais preciso de forcas. Nao no mau do sentido mas sim . Cheguei a ma fase se isto tudo faz se.ntido acreditar na fisica quantica… universo neste novo modelo de vida

    Curtir

    1. Que bom que você tem lido! Tenho vontade de escrever sobre a parte técnica da física quântica, mas tenho escrito sobre assuntos conforme os sinais que recebo e sincronicidades. Vamos ver se consigo escrever nas próximas semanas. Comente sempre que quiser!
      Beijos!
      Sofia

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s