Você confia nos sinais do Universo?

Preparado para a viagem? Nos dois sentidos da palavra? Talvez você termine a leitura achando que eu viajei. Vou entender! Talvez termine com a sensação de que andou quilômetros dentro de si mesmo, em várias questões que pairam no ar sem resposta. E eu não prometo que às tenho. Mas podemos ir juntos buscá-las.

Eu fico o tempo todo buscando provas sobre essa minha nova fase. Eu busco fatos irrefutáveis. Para a antiga Sofia – que ainda me habita em algum lugar e aparece constantemente para colocar meus pés no chão – qualquer coisa diferente disso seria viagem, seriam hipóteses apenas. Qualquer afirmação sem provas seria irresponsabilidade. Escrever isso na internet seria entrar para um grupo dos loucos, hippies, seria auto ajuda barata. Gostaria de ver a minha cara lendo isso há uns anos atrás.

Mas a verdade é que eu não tenho como provar para ela, nem para outras pessoas, do modo racional que aprendi a vida toda. Se eu pergunto e recebo uma resposta logo na sequência, se eu peço e consigo algo rapidamente, significa que eu estou conectada com os sinais e leis do universo, certo? Mas e se a resposta vem só para mim, de um jeito que só eu vejo? E se só eu consigo ver o que eu ganhei?

Acredito que essa nova forma de pensar seja finalmente ouvir o coração. Mas o que é ouvir o coração? Alguém tão racional como eu era (não deixei de ser, apenas expandi a percepção) acha que ouvir o coração é seguir os impulsos, agir sem medir as consequências. Aliás, uma característica muito temida pra mim é a inconsequência. Na minha visão sempre foi um dos piores defeitos que alguém pode ter. Mais até do que a irresponsabilidade. Percebe a guerra interna?

Você pode ter nascido com essa habilidade de ouvir o coração já desenvolvida. Ou pode ter sido ensinado na sua criação que isso é uma coisa normal. Você pode, assim como eu, estar em um momento que isso passou de estranho para óbvio. Ou você pode estar querendo muito começar a ouvir, mas não sabe por onde começar.

A minha intenção ao escrever sobre isso é é falar com:

  1. Quem já aprendeu a confiar nesse sentido – a gente precisa de constante lembrança, porque é mais fácil se perder nos pensamentos do que simplesmente confiar;
  2. Quem ainda é muito racional – e precisa de motivos racionais, provas, fatos. Eu entendo e vou me esforçar para colocar aqui nesse blog todas essas provas diárias que tenho recebido.

É difícil porque sei que o primeiro grupo vai se identificar facilmente, mas o segundo, mais cético, pode até virar os olhos em descrença. É difícil porque “depois que acontece é fácil falar” e parece demagogia, ninguém sabe o que se passa aqui dentro. Mas vou me arriscar e tentar falar mais sobre os pequenos sinais do meu dia a dia, ao longo das próximas semanas.

Prova de hoje

Hoje postei uma foto no Insta comentando o fato de ter pedido uma coisa e obtido uma melhor.

Vou usar meu lado metódico agora:

Fato

Pedi sombra.

Explicação do motivo: Estava muito sol e eu queria um pouco de sombra para ler um livro na beira da piscina. Eu decidi ir em um condomínio diferente do que eu moro porque a piscina de lá é mais vazia. Fica a uns dez minutos de carro da minha casa. Tomei muito sol em uma viagem recente e não queria me queimar mais. Não coloquei bikini e estava com preguiça de passar protetor, então fui o caminho todo torcendo por uma sombra. Podia ser qualquer pequena sombra, uma árvore que fosse, já estaria bom. Quando cheguei, havia um novo toldo que garantia sombra na maior parte das cadeiras!

Até esse ponto você já se identificou com a Sofia Racional (que chamo de antiga) ou a Sofia Filosófica (que se permite sentir também, e aceitar). A nova Sofia ouve o lado racional e o emocional, e depois sente e aceita ao invés de racionalizar. Raciocinar é diferente de racionalizar. Mas isso já é assunto para um novo post. Abaixo vou tentar descrever o pensamento e sentimento de cada uma delas. Sim a Sofia antiga também tinha sentimentos, só não dava ouvido a eles.

Lado Racional

Inicio uma série de pensamentos para provar que a implantação da cobertura não tem nada a ver comigo: Alguém planejou isso, provavelmente porque alguns moradores levantaram a necessidade, buscou aprovação para efetuar o gasto, pesquisou o melhor orçamento, contratou a empresa para instalar e a instalação deve ter sido feita já há algum tempo, considerando que faz tempo que eu não venho aqui. Dezenas de pessoas vão usufruir dessa cobertura, algumas vão achar ruim, todas as próximas vezes que eu vier ela estará aqui, e isso foi só uma grande coincidência.

É assim que racionalizo as coisas. Busco todas os fatos que provam que minha teoria está errada. Se não houver, busco o que prova que ela está certa. Nesse caso já teria carimbado: ACASO!

Lado Filosófico

Sinto que é mais uma das provas que estou pedindo para o Universo me mandar e é muito difícil explicar um sentimento. Vou tentar: sinto que nossa vida tem um propósito que não conseguimos entender completamente. E não temos que entender. Entender não está nos planos. A vontade de Deus, do Universo ou, do que quer que esteja no comando, passa por questões que nesse plano, não temos capacidade de entender. Eu aceito o fato de que, mesmo que eu queime meu cérebro tentando entender, pode ser que eu não entenda porque sentir (ouvir o coração) é tão importante. Essa clareza só me veio agora e eu não posso ignorá-la. Embora eu tenha aceitado, por ser racional eu pedi provas e não posso ignorá-las.

Se existem realidades paralelas, por exemplo, a realidade em que alguém pediu uma cobertura é a que se manifestou para a Sofia que pediu isso no caminho. Faz sentido?

(Não acho que seja isso, kkkkk. Agora dei um nó no seu cérebro? É essa a intenção.)

Isso é o mais perto que consigo chegar para explicar que você, assim como eu, dificilmente conhece a fundo física quântica e dificilmente consegue calcular a probabilidade de multiversos. Então é mais fácil aceitar a possibilidade do que se limitar apenas ao campo do seu raciocínio que é muito pequeno comparado ao infinito desse único universo que conhecemos e podemos “comprovar cientificamente”.

A teoria de universo paralelo é uma de várias que posso usar. Acreditar nessas teorias, não faz diferença nisso que quero explicar. Passei muito tempo apegada às teorias. Agora você entende que eu não penso mais tudo isso? Apenas aceito que eu não tenho capacidade de saber porque funciona, apenas aceitar que funciona e ver que funciona, testando!

Se você quer ir nesse mesmo caminho, leia sobre a lei da atração e teste, mesmo que não faça sentido no começo. Pergunte para o universo e espere os sinais sem racionalizar. Comece devagar, mas se abra para o novo! Faça do novo um hábito.

O que você já conhece, já conhece e não vai fugir de você. Esse mundo novo é infinito de possibilidades e isso que tem me atraído nele. Não importa mais se vou parecer uma hippie maluca.

Não importa o motivo. Eu pedi o que precisava e quando cheguei, estava lá!

Beijos!

Sofia.

P.S. Troquei a sombra pelo ar condicionado do escritório para escrever isso em pleno domingo. Escrever tem me dado mais prazer do que qualquer outra coisa nesse momento e isso me comprova um alinhamento de propósito. Outro pedido atendido!

 

Anúncios

3 comentários sobre “Você confia nos sinais do Universo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s