Realidade, dor e modo “e se”

Um dos conceitos mais interessante que entendi nos últimos tempo é o de que muitas dores são causadas apenas pelo fato de você não aceitar a realidade como ela é. Toda vez que você deseja que a realidade seja diferente do que ela é, você sofre. E sofre inutilmente.

A verdade é que a gente não controla a maioria das coisa que acontecem com a gente. A ilusão de que podemos controlar traz muitos conflitos internos e dor. Exemplos básicos dessas dores diárias:

  • Você criou expectativa e não aconteceu;
  • Você planejou todos os detalhes mas houve imprevistos e não foi do jeito que você imaginava;
  • Você fez todo um diálogo na sua cabeça para um conversa importante, mas a pessoa falou outras coisas, você se perdeu no script e saiu com a sensação de que a pessoa não te entende;
  • Você queria estar de folga, mas está trabalhando;
  • Você queria que aquela pessoa gostasse de você, mas ela não demonstra gostar do, jeito que você imagina;
  • Você queria que estivesse sol, mas tá chovendo;
  • Você queira mudar coisas no seu corpo;
  • Você deduziu valores em uma pessoa, mas ela não agiu de acordo;
  • Você perdeu alguma coisa, bateu o carro ou foi roubado e não se conforma com isso ter acontecido;
  • Você se perdeu e levou muito mais tempo para chegar;
  • Negações em geral.

Deixa eu te contar uma coisa que você se esquece. Você pode tudo que você quiser. Mas não tudo ao mesmo tempo. A maioria das coisas exige tempo e você precisa escolher suas prioridades. Se programar para conseguir algumas coisas específicas, usando o livre arbítrio. O resto, deixa acontecer. Esteja presente, no momento e na realidade que se apresenta. Esteja solto para agir espontaneamente. Isso é uma liberdade a que temos direito mas não damos valor.

Aceitar o que é – apenas é – com gratidão, poupa muito sofrimento. Aquele mesmo conceito que sempre uso: a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. O ato passivo de “sofrer” determinado fato é diferente do ato ativo de rejeitar a realidade, se revoltar, lutar internamente contra ela, entrar em negação, ficar remoendo, entrar no modo “e se”.

Modo “e se” nesse post

E se eu lembrar de mais situações que poderia descrever aqui, e se houver algum erro de português ou concordância, e se tal pessoa achar que isso é um recado pra ela, e se eu não expliquei direito o que está na minha mente, e se as pessoas entenderem como conformismo, e se eu não achar uma foto que tem relação com esse tema, e se as pessoas acharem que ficou muito grande? Viu? O que não falta são motivos para criar mil outras realidades ao invés de ficar na única possível. No momento presente. Minha realidade agora é que eu tenho que concluir essa ideia para cumprir o objetivo de divulgá-la. Todo o resto me leva para a não ação.

Ficar criando novas realidades te impede de agir agora para alcançar o que você quer. No modo “e se” não dá para terminar nenhum post. Para clicar no Publicar, é preciso aceitar a realidade. Porque você está triste? Você pode mudar os fatos? O que você pode fazer para se sentir melhor? Se te ajudar, escreva pra mim!

Beijo!

Sofia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s